Aqui no Mahalo Poke somos apaixonados pelo surf e pela cultura havaiana e, por isso, não poderíamos deixar de homenagear um dos seus personagens mais ilustres. Estamos falando de Duke Kahanamoku, conhecido por ser um dos idealizadores do surf moderno e um dos grandes disseminadores do estilo de vida havaiano pelo mundo. Não por acaso, é ele quem recebe nossos convidados quando você chega aqui no Mahalo.

 

[Foto Restaurante]

 

Nasceu em 24 de agosto de 1890 aquele que viria a se tornar responsável por transformar o Havaí em um dos berços do surf mundial. Filho de havaianos nativos, Duke Paoa Kahanamoku cresceu em Waikiki, um bairro de Honolulu, onde desenvolveu sua paixão pelo mar e por esportes aquáticos. Aos 4 anos, seu pai o ensinou a nadar de um jeito ancestral: “Entre na água e sobreviva”.

Aos 20 anos, o então desconhecido Duke participou do encontro de nadadores da União Atlética Amadora (AAU). Em sua primeira competição, quebrou dois recordes no nado livre: o americano de 50 jardas e o mundial de 100 jardas. No entanto, a organização estadunidense se recusou a reconhecer os feitos.

 

[FOTO]

 

Em 1912, Duke já era um surfista e nadador conhecido localmente e o Havaí acabara de se tornar território norte-americano e o esporte era a ponte entre culturas tão distantes de um mesmo país. Foi então que os havaianos decidiram juntar dinheiro para mandar Duke aos Estados Unidos, para treinar com a equipe olímpica americana e competir nos Jogos de 1912 em Estocolmo, na Suécia, onde ganhou uma medalha de ouro e outra de prata. Os jornais da época destacavam a curiosa história do havaiano que havia ganhado medalhas olímpicas para os EUA, e seus métodos exótico de treino, domando as violentas ondas do arquipélago.

 

Após a 1ª Guerra Mundial, Duke ainda foi a mais duas Olimpíadas - em Antuérpia (1920) e Paris (1924) - e faturou cinco medalhas ao todo, sendo três de ouro e duas de prata. Durante as viagens que fazia para competir na natação, ele sempre encontrava tempo para surfar e estava sempre disposto a ensinar a todos que sentiam vontade de aprender o esporte. Foi assim que ele conheceu Isabel Letham, em 1914, em uma de suas viagens para Austrália. A jovem australiana ficou curiosa pelo esporte ao ver Duke deslizar sobre água. Isabel então pediu ao homem que a ensinasse a surfar e ele, prontamente, se dispôs a ensiná-la. Isabel então ficou conhecida como a primeira mulher a surfar.

 

[FOTO]

 

Nos Jogos Olímpicos da Antuérpia, em 1920, Kahanamoku, então com 30 anos, tornou-se o nadador mais velho a ganhar uma medalha de ouro olímpica em provas individuais da natação. Este recorde só seria superado 96 anos depois, por Michael Phelps, que conquistou um ouro com 31 anos e 40 dias.

 

Durante décadas, Duke aproveitou a visibilidade de seus feitos olímpicos, para cultivar a semente do surfe por onde passava. Certa vez, quando voltava da Bélgica com a equipe olímpica americana, eles pararam em Detroit, Estados Unidos, para mostrar vídeos da performance nos Jogos da Antuérpia em um teatro. Numa cadeira próxima sentava-se Tom Blake, então um garoto de 16 anos, que mais tarde se tornaria nadador, dublê de cinema e salva-vidas, até se envolver com o surf. Após esse encontro, Blake viria a se tornar um dos maiores nomes do surf mundial. Ele se tornou surfista profissional e um dos maiores inventores de design de pranchas surf na primeira metade do século XX. Alguns anos mais tarde, na década de 1930, Blake e Duke passariam a trabalhar juntos desenvolvendo shapes e as aprimorando as pranchas de surf.

 

Após a Olimpíada de 1924, quando decidiu se aposentar das competições de natação, passou a se dedicar mais ao esporte que mais amava, o surf. Entre 1925 e 1967, Kahanamoku também dedicou sua vida ao cinema, atuando como personagens nativos ou como lenda viva do surf.

 

[FOTO]

 

Em 1932, Duke foi eleito xerife de Honolulu, função na qual serviu por longos 29 anos. Seu carisma era conhecida em todo o Havaí, e seu “Aloha Spirit” (Espírito Aloha, em inglês) era a sua marca registrada. Após largar o cargo de xerife, Kahanamoku se tornou um ‘recepcionista oficial’ da ilha. Duke passou a recepcionar atores de Hollywood, atletas famosos e políticos importantes que chegassem a ilha graças ao seu enorme carisma.

 

Não por acaso, em 1965, foi criado em seu nome o Duke Kahanamoku Invitational Surfing Championship, o primeiro campeonato de ondas gigantes da época, realizado na lendária praia de em Sunset Beach no North Shore.

 

Duke Kahanamoku faleceu em 22 de janeiro de 1968, aos 77 anos, após um ataque cardíaco. Porém, através do surf, seu legado segue vivo e com milhões de seguidores ao redor do mundo. Por onde passava, Duke propagava a seguinte filosofia: “Deixe o oceano te ensinar. Ele vai te ensinar tudo o que você precisa saber”.